Muitos lutadores chegaram ao ringue, mas apenas 5 sobreviveram à primeira fase da seleção. E agora chegou a hora do desafio!

Recebemos mais de 100 originais de autores no ano passado. Depois de muito trabalharmos e discutimos, selecionamos 5 títulos para a segunda fase. São eles:

  • Em pele de cordeiro, de Andreia Evaristo
  • O interrogatório do tubarão de Boa Viagem, de Paulo André Souza
  • Estrada de ossos, de Bruna Karnauchovas
  • E se Deus fosse negro, de Israel Marques
  • A melhor parte da mentira, de Mohanad Mohamad Odeh

Somos uma casa editorial em crescimento. E apostamos todas as fichas na Nocaute, mas é um grande desafio publicar muitos projetos, principalmente do ponto de vista financeiro.

Lembramos, ainda, que a Editora Nocaute não cobra pela publicação de seus livros. Ou seja, investiremos em todos os livros aprovados para publicação. Isto nos permite selecionar apenas os livros que julgamos mais interessantes, sem depender do investimento dos autores.

Agradecemos a todos que nos enviaram seus livros. Gostaríamos de publicar todos, ou pelo menos dar um feedback detalhado aos autores. Mas é humanamente impossível.

Sobre a 2ª Fase da Seleção Nocaute, queremos propor um desafio ao nosso público! Destes 5 originais, apenas 2 serão publicados em 2018.

 

ENTENDA O DESAFIO – VOCÊ VAI NOS AJUDAR A ESCOLHER UM DOS LIVROS A SER PUBLICADO

Como acreditamos no bom gosto de nossos leitores, vamos fazer uma votação entre os 5 livros durante o mês de Fevereiro.

Importante: dos 5 finalistas, um livro será escolhido pelo público. E o outro livro, pelos editores da Nocaute.

Abaixo você vai conferir uma sinopse de cada proposta. E mais abaixo ainda um formulário onde poderá votar em seu preferido.

Sinopses:

O interrogatório do tubarão de Boa Viagem, de Paulo André Souza
É um livro de contos que transita entre a literatura criminal (não policial) e o thriller, que procura fazer a ponte de estórias transparentes, flúidas, com certa tradição da narrativa de personagens densos, redondos. Nos temas, o elo entre a pegada nietzscheana de Rubem Fonseca e lapidação de Guimarães Rosa e Milton Hatoum, sem perder de vista as viradas de um Simenon, estão no horizonte dessa obra que procura preencher a inacreditável lacuna de flanar pelo tema das tênues linhas da vida policialesca de colarinho branco que assombra o pais, sem referências diretas, estabelecendo a poética da ambiguidade, pelos extremos dos personagens que sempre estão cometendo, estão à beira de, ou estão além de um belo crime de poder ou paixão.

Estrada de ossos, de Bruna Karnauchovas
Dizem que ela vive entre os declives de granito decomposto no território dos índios tarahumara. Dizem que ela está enterrada na periferia de Phoenix, perto de um poço. Dizem que vive parada na estrada perto de El Paso, que pega carona com caminhoneiros até o México, ou que foi vista indo para a feira acima de Oaxaca, com galhos de lenha de estranhos formatos nas costas. Ela é conhecida por muitos nomes: la Huesera, ou a Mulher dos Ossos, la Trapera, ou a Trapeira, e la Loba, ou a Mulher Loba. Seu único ofício é o de recolher ossos, e junto ao fogo, a Mulher dos Ossos canta, e ali a magia se faz. *** Em sua última noite, Catarina recebe um telefonema de um estranho. Uma misteriosa proposta de trabalho. Mas ela não queria continuar. “Viva só mais uma noite”, dissera a voz do outro lado da linha. Ela nunca imaginaria que aceitar viver “mais uma noite” significaria ter toda a sua vida mudada. Não só por uma noite. Para sempre.

E se Deus fosse negro, de Israel Marques
Ian é um menino negro que nasceu na favela e, desde cedo, precisou atravessar pelas dificuldades que a vida impôs. Vendo sua família se desestruturar aos poucos, é atraído pela carreira no tráfico. Sem sucesso, acaba aprendendo várias coisas nas ruas para sobreviver. Enquanto faz malabarismo no farol, conhece Yara que fica em sua mente para sempre. Passa por diversos lugares e acaba voltando ao ponto de início, a praça da Sé, onde um mendigo lhe presenteou com um livro do Malcolm X que mudou sua vida. “As pessoas não compreendem como toda a vida de um homem pode ser mudada por um único livro.” – Malcolm X.

Em pele de cordeiro, de Andreia Evaristo
Precisamos falar sobre estupro, por mais difícil que seja. Louise Carmin é uma pessoa bem sucedida: é uma arquiteta de sucesso, que acaba de ser promovida, tem um casamento feliz e uma filha estudando direito em Paris. Mas a função mais difícil que Louise exerce é a de voluntária na Caverna, um centro de apoio a vítimas de estupro. Todos os dias, Louise se depara com cenas de mulheres são abusadas por maridos, namorados, tios, primos e, às vezes, desconhecidos. Mulheres reais, como eu ou você, com dramas mais comuns do que gostaria de admitir. Em pele de cordeiro transita sempre entre dois polos: entre a história de Louise e as histórias das vítimas; entre o presente ou o passado, em 1997, quando Louise e seu atual chefe, por quem ela tem aversão, se conheceram; entre o amor e o ódio.

A melhor parte da mentira, de Mohanad Mohamad Odeh
Após receber a notícia do assassinato de seu amigo de infância, Renan decide fazer um documentário a fim de estabelecer uma boa imagem e desfazer as mentiras criadas diante das especulações acerca da misteriosa morte. As descobertas que se seguem durante as filmagens e entrevistas que deveriam ajudar nas investigações acabam por abalar os conceitos e fé em que depositava na imagem de alguém que julgou conhecer. Estaria a mentira presente em tudo?

VOTE NA PROPOSTA QUE MAIS CURTIU LOGO ABAIXO

Chegou a hora de você nos ajudar a escolher a melhor proposta. Qual chamou mais sua atenção?

O objetivo da Editora Nocaute sempre será publicar livros incríveis, de autores brasileiros com grande potencial. E esperamos alcançar isso com esta temporada de originais!


Categorias: Novidades

2 comentários

Helton Fesan · 02/13/2018 às 2:11 pm

E se Seus fosse Negro. Ideia perfeita

Priscila Faisbanchs · 02/22/2018 às 6:16 pm

Perfis psicológicos de personagens redondos, tendem a deixar a narrativa amarrada, prendem o leitor de uma forma difererente.
Acredito no projeto deste; O interrogatório do tubarão de Boa Viagem.
Que faça valer a pena!
????????????

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *